Mensagem da Afisa-PR aos fiscais agropecuários de campo de boa-fé

Afisa-PR

Mensagem da Afisa-PR aos fiscais agropecuários de campo de boa-fé

O preço da desunião

 

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) pergunta: como os  fiscais agropecuários de campo de boa-fé conquistarão plena valorização profissional com justiça remuneratória?

Vocês acreditam que conquistarão isso com a intermediação de prepostos de governos, aduladores, “lideranças” inexperientes etc.?

É  lógico e racional reforçar — isso sim! — a associação representativa de classe já existe há quase 16 anos, que é comprovadamente autônoma, autêntica e independente. Não será com balaio de gatos genérico, “ideia” de criação de “sindicato doutrinador” entre outras investidas cujo único propósito é o de enfraquecer a categoria. Para evoluirmos coletivamente é preciso contar com representação autêntica, autônoma e independente, capaz de atuar eficientemente na defesa dos justos e legítimos interesses dos fiscais agropecuários de campo de boa-fé na preservação do interesse público em fiscalização agropecuária estatal.

Os fiscais agropecuários de campo de boa-fé, sobretudo, os mais novos de carreira, precisam despertar para a realidade, que é adversa no contexto de serviço público do Paraná. Caso contrário, a categoria será vítima fácil dos que atuam ativamente para que vocês prescindam de associação de classe autêntica, autônoma e independente, pois o objetivo, primeiro é o de enfraquecê-la para impor “em seu vácuo” um “sindicato doutrinador” ou coisa parecida, evidentemente aparelhado por prepostos de governos, aduladores e pelegos infiltrados.

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) adverte: os fiscais agropecuários de campo de boa-fé, sobretudo os mais novos de carreira, devem tomar extremo cuidado para não cair na armadilha que visa enfraquecer e fragmentar a categoria.  

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) é aliada incondicional dos fiscais agropecuários de campo de boa-fé e não vista, como querem seus inimigos, como entidade classista a ser atacada e desmerecida. É justamente isso que pretendem aqueles que atrasam, oprimem, manipulam e subdesenvolvem a categoria.

Leia mais:Mensagem da Afisa-PR aos fiscais agropecuários de campo de boa-fé

Nota de esclarecimento

Afisa-PR

Nota de esclarecimento 

Contra os termos do e-mail oficial de 16 de novembro intitulado «Ofício do DSA para AFISA"

 

 

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR), diante dos termos do e-mail oficial de 16 de novembro, intitulado «Ofício do DSA para AFISA», cujo anexo é o Ofício n. 27/2017/DSA-MAPA de 2 de fevereiro à Afisa-PR, coletivamente  encaminhado pelo gerente da saúde animal deste estado aos fiscais agropecuários, esclarece o que se segue:

1 – A Afisa-PR ratifica todas as restrições feitas junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) contra os teores das portarias nos 391 de 2015 e 76 de 2015, pois considera que ambas podem não atender plenamente o disposto no Decreto n. 5.741 de 2006 e demais normas complementes.

Da OIE a Afisa-PR só recebeu elogios pelas suas iniciativas que visaram a preservação do interesse público, conforme comprova suas cartas de 27 de abril de 20157 de agosto de 2015 e 19 de maio de 2016.

Leia mais:Nota de esclarecimento

Opinião da DIREX: O Estado que protege

Afisa-PR

Opinião da DIREX

O Estado que protege

 

 

O empresário Benjamin Steinbruch, diretor-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (SCN) escreveu (hoje) na Folha de S. Paulo ("Só obras financiadas e estimuladas pelo setor público tiram país da crise") que "não há outro caminho para sair da recessão que não passe por obras financiadas e estimuladas pelo setor público. Estradas precisam e podem ser recapeadas; rodovias, asfaltadas; ferrovias, concluídas; obras de saneamento, iniciadas; concessões públicas, continuadas; escolas, construídas; habitações, financiadas". Steinbruch tem razão. 

Leia mais:Opinião da DIREX: O Estado que protege

Procedimento Ordinário na Justiça pelo reajuste de 8,53% correspondente à revisão geral anual de 2017

Afisa-PR

Procedimento Ordinário na Justiça pelo reajuste de 8,53% correspondente à revisão geral anual de 2017

Afisa-PR ingressa na Justiça em favor dos seus filiados regulares

 

 

Como acessar o trâmite do Procedimento Ordinário na Justiça do Estado do Paraná AQUI

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR), nesta quinta-feira (3), protocolou Procedimento Ordinário Poder Judiciário do Estado do Paraná pela revisão geral anual — mora do Executivo, inc. X, art. 37, CF 1988 —  em favor dos seus filiados regulares. 

Leia mais:Procedimento Ordinário na Justiça pelo reajuste de 8,53% correspondente à revisão geral anual de...

MP-PR instaura Inquérito Civil para investigar realocações de fiscais agropecuários

Afisa-PR

MP-PR instaura Inquérito Civil para investigar realocações de fiscais agropecuários 

A representação anônima, segundo informações, baseou-se no conteúdo da carta 27-Afisa-PR junto à CGE 

 

 

A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) já tinha tomado conhecimento de que o Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) fora informado, através de representação anônima, sobre a ocorrência de possível desvio de finalidade nas portarias de realocações contra fiscais agropecuários do estado.

A representação anônima, segundo informações, baseou-se no conteúdo da carta 27-Afisa-PR (inteiro teor disponível na Página do Associado), de 15/04/2016, encaminhada (registro mediante AR SB191624828BR) à CGE - Controladoria Geral do Estado.

O MP-PR, através da Portaria nº MPPR-0046.16.099038-1, objeto do DOE nº 9838, de 08/12/2016, instaurou Inquérito Civil (consulta/interesse público) contra o órgão público responsável, com o objetivo de apurar "possível desvio de finalidade nas portarias de realocação expedidas" em prejuízo dos fiscais agropecuários do estado.  

Leia mais:MP-PR instaura Inquérito Civil para investigar realocações de fiscais agropecuários