Afisa-PR

O que torna tão difícil erradicar a PSA?

Torna-se crucial incluir a ciência social ao planejar medidas de prevenção, controle ou erradicação da peste suína africana (PSA).  Considerando-se apenas suas particularidades biológicas, contagiosidade, tenacidade e taxa de letalidade, mas ignorando os aspectos humanos, sua atual epidemia de PSA não será controlada

What makes ASF so difficult to eradicate? & It´s crucial to include social science when planning measures to prevent, control or eradicate African Swine fever (ASF). Considering just their biological particularities, contagiosity, tenacity and lethality rate, but ignoring human aspects, their current ASF epidemic will not be controlled

 

Peste porcine Belgica

Crédito imagem: RTBF & Jean-Luc Fremal

 

Segundo a notícia What makes ASF so difficult to eradicate? (por Erika Chenais, Klaus Depner, Vittorio Guberti, Klaas Dietze, Arvo Viltrop e Karl Ståhl1) do The Pig Site de 18 de janeiro de 2019, com base em experiências, conhecimentos e dados obtidos a partir da atual epidemia de peste suína africana (PSA), a revisão Epidemiological considerations on African swine fever in Europe 2014–20181 destaca alguns recentes desenvolvimentos na compreensão epidemiológica dessa gravíssima epizootia.

Segundo os autores, as qualidades de três características epidemiológicas: contagiosidade, tenacidade e taxa de letalidade, tornam o VPSA (vírus da peste suína africana) eficiente tanto na persistência quanto na transmissão. A alta tenacidade garante a persistência a longo prazo do VPSA no meio ambiente, a alta taxa de letalidade torna-o amplamente disponível e a relativamente baixa contagiosidade impede o esgotamento completo da sua população hospedeira. A interação desses três parâmetros maximiza a persistência local e a disseminação geográfica do VPSA, situações que tornam sua erradicação um desafio.

 

 

A PSA não apresenta um padrão epidêmico típico com epidemia localizada autolimitada ou disseminação mais ampla por meio de uma onda epidêmica2. Ambos os padrões provavelmente exigiriam maior contagiosidade. Os padrões geralmente observados em ambientes endêmicos, com circulação constante ou presença de patógenos na população-alvo2, também não são observados.

Com uma alta taxa de letalidade e a provável ausência de um status de portador duradouro, o VPSA não pode ser mantido independentemente em uma circulação ativa por um longo período de tempo, apesar da alta capacidade reprodutiva do javali selvagem. Isso deixa um cenário epidemiológico de uma perpetuação facilitada pelo reservatório do patógeno, levando a um estado endêmico.

Com a ausência dos hospedeiros do reservatório, os suídeos africanos selvagens (javalis), os carrapatos (Ornithodoros) que infestam animais suscetíveis e o habitat como tal, incluindo as carcaças contaminadas de animais mortos, tanbém devem ser considerados como um reservatório de patógenos que leva ao cenário endêmico observado com intervalos estendidos de transmissão.

Para além da população de javalis selvagens e do habitat, a atual epidemia de PSA reconhece os seres humanos como os principais responsáveis ​​pela sua transmissão a longas distâncias e pela introdução do seu vírus nas explorações de suínos domésticas. Assim, torna-se crucial incluir a ciência social ao planejar medidas de prevenção, controle ou erradicação da PSA. Considerando apenas as particularidades biológicas da doença, contagiosidade, tenacidade e taxa de letalidade, mas ignorando os aspectos humanos, sua atual epidemia não será controlada.

 

 

China se juntará à corrida para desenvolver uma vacina contra a PSA

Segundo a notícia China to join the race to develop ASF vaccine do The Pig Site de 18 de janeiro de 2019, a  China quer desenvolver uma vacina contra a peste suína africana (PSA), informou ontem (18) seu Ministério da Ciência e Tecnologia.

A China também criou um projeto que estudará as origens do vírus dessa doença e a forma como ele se dissemina, disse o ministério em uma informação oficial publicada em seu portal na internet.

A China registrou cerca de 100 surtos da PSA que é altamente contagiosa desde que o primeiro no país foi confirmado na província de Liaoning, no início de agosto de 2018.

A PSA não afeta os seres humanos, mas é mortal para os suínos e não há cura.

Pesquisadores de outros países também trabalham em uma vacina contra essa doença, mas foram prejudicados por lacunas no conhecimento sobre seu vírus e a variação de cepas.

A China disse que trabalhará em uma vacina chamada "viva".

 

China abateu mais de 900.000 suínos devido à PSA

Segundo a notícia China has culled more than 900,000 pigs due to African swine fever (por Dominique Patton e Hallie Gu) da Reuters de 15 de janeiro de 2019, a China foi obrigada a sacrificar 916 mil suínos depois de 100 surtos de peste suína africana (PSA), conforme afirmação de seu ministério da Agricultura.

O problema é que a PSA continua a se disseminar para novas regiões e criações da China.

 

Rosselkhoznadzor da Rússia: vírus da PSA romperá fronteiras

Segundo a notícia ASF set to break through borders (por Vladislav Vorotnikov) do Global Meat News de 28 de janeiro de 2019, neste ano, surtos da peste suína africana (PSA) deverão ocorrer na França e na Alemanha. Também está prevista o agravamento da disseminação da PSA no Sudeste Asiático. São as previsões do serviço federal Rosselkhoznadzor (Federal Service for Veterinary and Phytosanitary Surveillance) da Rússia ditas no último 19 de janeiro (durante uma conferência em Moscou) pelo seu diretor Sergey Dankvert.

Sobre a epidemia de PSA na Ásia, Dankvert espera “consequências realmente severas”, especialmente para a Tailândia, o Vietnã e as Filipinas.

O diretor do Rosselkhoznadzor disse que a disseminação da PSA na Europa aconteceu 100% como fora previsto pelo Rosselkhoznadzor. Porém, não se esperava que a PSA aparecesse na China tão cedo e não havia previsão de que a Mongólia fosse atingida (relatórios oficiais chineses sustentam que neste país a doença veio da Rússia e passou pelo Cazaquistão). “Acreditamos que esses fatos são uma evidência de que a disseminação global da PSA não está sob controle”.

Neste ano, o Rosselkhoznadzor espera novos surtos de PSA na França e na Alemanha. Nas previsões anteriores, o corpo de fiscais agropecuários, responsável pela defesa sanitária animal e vigilância sanitária na Rússia, estimou que a PSA se deslocaria para o Oeste (rumo à Europa) com uma velocidade média de cerca de 350 km por ano.

O risco da disseminação da PSA pelo turismo — Recentemente, o Rosselkhoznadzor descobriu um lote de produtos derivados com o vírus da PSA. Nos últimos anos, esses casos vêm acontecendo com regularidade na Rússia, já que vários lotes de produtos derivados com o genoma da PSA foram detectados nas prateleiras dos supermercados.

Segundo a notícia, Sergey Yuschin, presidente da Russian National Meat Association, acredita que esse problema pode acelerar a disseminação da PSA em todo o mundo, inclusive na América do Norte. Yushin alertou que os turistas que viajam de um país para outro podem simplesmente levar1 o vírus da PSA em um “sanduiche contendo o genoma da PSA”.

Além disso, o Taiwan's Council of Agriculture (Conselho de Agricultura de Taiwan) disse ter identificado pela primeira vez um caso em que uma encomenda com salsichas de carne suína infectadas por PSA transitava pelo correio, situação que aumenta ainda mais as chances de sua disseminação para outros países.

 

 

Dinamarca constrói quilométrica cerca na tentativa de evitar a PSA

De acordo com a notícia Denmark set to build wild boar fence on German border (por Ashley Williams) do Global Meat News de 29 de janeiro de 2019, o Ministry of Environment and Food  of Denmark (ministério do meio ambiente e alimentos da Dinamarca) iniciou a construção de uma cerca "anti javalis" com 70 quilômetros de extensão na fronteira com a Alemanha para combater a ameaça da peste suína africana (PSA).

A cerca, com 1,5 m de altura e com 50 cm abaixo do solo, segundo a notícia, será concluída em outono (do Hemisfério Norte) de 2019.

Partidarização política da PSA —  O Denmark’s Liberal Party (partido liberal) da Dinamarca "assumiu total responsabilidade pela decisão" para "proteger" a Dinamarca da PSA que supostamente "estaria se aproximando" das fronteiras dinamarquezas.

As exportações da indústria suína da Dinamarca somaram cerca de DKK 30 bi (1 coroa dinamarquesa vale atualmente 0,153 dólares norte-americanos); em 2016, com DKK 11 bi para fora dos países da União Europeia (UE). O governo da Dinamarca alegou que se um surto de PSA ocorrer, seriam fechadas as exportações para países de fora da EU.

"Temos 11 bilhões de boas razões para fazer de tudo o que pudermos para evitar que a peste suína africana chegue à Dinamarca. E agora, finalmente, poderemos começar a erguer nossa cerca [anti] de javalis", afirmou Jakob Elleman-Jensen, ministro de meio-ambiente e alimentos da Dinamarca.

 

 

Atualização (até 28 de janeiro) do surto de PSA na Bélgica

Segundo um twitter publicado pelo Pig Progress (por Vincent ter Beek) a atualização do surto de peste suína africana (PSA) na Bélgica mostra que até agora o vírus contaminou 392 (apud OIE) javalis selvagens; no total na semana passada, 31 novos animais selvagens foram encontrados; entre 1º e 28 de janeiro, 105 javalis selvagens foram contamidados. Todos os achados estão dentro da área tampão demarcada pelas autoridades belgas de fiscalização agropecuária.

 

 

Rápida atualização dos surtos de PSA em países da Ásia

surtos de PSA na Sibéria achados em 2017 e também o desenvolvimento dessa doença na Mongólia (9 surtos relatados agora, a maioria no norte, perto da estrada de Ulaanbaatar para a Rússia).

 

 

PSA: situação global

Com base na notícia ASF threat – what more can be done? Do Pig World de 8 de fevereiro de 2019, a situação global da peste suína africana (PSA), revela:

 

Bélgica e França

Até o momento, cerca de 350 surtos de PSA em javalis selvagens foram confirmados desde que seu vírus, em setembro passado, foi descoberto pela primeira vez na região belga do Luxemburgo. O vírus da PSA ainda não atingiu os suínos de criação. No entanto, a França está em alerta máximo, incluindo o planejamento da eliminação de javalis selvagens e construção de cercas de contenção perto da fronteira com a Bélgica, depois que o vírus da doença foi confirmada no mês passado em dois javalis encontrados mortos, a cerca de 1 km da fronteira belga.

 

Europa Oriental

Desde julho do ano passado caiu todos os meses o número de casos em suínos de criação nos países afetados. Em dezembro, apenas 27 surtos foram registrados em dezembro (22 na Romênia), em comparação com os 437 registrados em julho, de acordo com a última atualização da Animal & Plant Health Agency (APHA) do Reino Unido. No entanto, os casos de PSA em javalis selvagens permanecem consistentemente altos, aumentando em dezembro passado, com quase metade dos surtos relatados na Polônia, que planeja abater 185.000 javalis, de acordo com relatos.

 

Dinamarca

Autoridades começaram a construir uma cerca de contenção ao custo de 44 milhões de libras ao longo da fronteira com a Alemanha para impedir a entrada de javalis selvagens no país, já que a expectativa é de que a PSA poderá alcançar a Alemanha.

 

China

A PSA foi relatada em 26 províncias (com exceção de cinco) em mais de 100 surtos desde agosto do ano passado, com mais de 900.000 suínos abatidos. As autoridades chinesas relataram que mais de 60% dos surtos estão associados à alimentação ou restos de comida (lavagem) de suínos.

 

Austrália

O vírus ASF foi encontrado em seis produtos derivados de carne suína que foram levados para a Austrália em janeiro deste ano, quando a fiscalização de fronteira testou 152 produtos em aeroportos e centros de correios. Houve relatos semelhantes de Taiwan, Coréia do Sul e Tailândia.

 

PSA: Rússia bloqueia importação de produtos suínos da Mongólia

Com base na notícia Russia blocks pork imports from Mongolia due to ASF (por Vladislav Vorotnikov) do Pig Progress de 16 de fevereiro de 2019, a peste suína africana (PSA) fez o Rosselkhoznadzor bloquear a importação de produtos derivados da carne suína da Mongólia. Existe o temor de que os surtos dessa doença possam representar uma ameaça às regiões da Rússia que ainda desfrutam da condição de livre de PSA.

O Rosselkhoznadzor tomou uma atitude depois de ter encontrado o genoma do vírus da PSA em um lote de linguiças importadas da Mongólia. O lote infectado foi descoberto no final de janeiro de 2018.

O governo admitiu que, apesar do monitoramento constante de carne suína importada da Mongólia, as salsichas infectadas foram distribuídas localmente. Em poucos dias, as salsichas importadas foram novamente retiradas da rede comercial. Os consumidores foram incentivados para que devolvessem as salchichas compradas pelo dobro do preço.

Um total 8 toneladas de salsichas contendo o genoma do vírus da PSA foram importadas da Mongólia. Deste lote, 6 toneladas foram apreendidas em um armazém e 2 toneladas foram vendidas aos clientes. Após o alerta de contaminação pelo vírus da PSA, o serviço de fiscalização agropecuária conseguiu recuperar apenas 300 kg. Assume-se, portanto, que o resto já havia sido consumido.

A fiscalização agropecuária russa sustenta que próximas semanas será adotado um regime melhorado de monitoramento da PSA nas regiões de Buryatia e Irkutsk, onde algumas salsichas com o genoma do vírus da PSA também chegaram às prateleiras das mercearias. Os suinocultores foram instruídos a vigiar os seus animais e reportar imediatamente à fiscalização agropecuária qualquer coisa considerada suspeita.

As exportações de suínos da Mongólia para a Rússia podem ser retomadas se as autoridades mongóis fornecerem uma investigação que mostre como as salsichas infectadas com PSA entraram na cadeia de fornecimento.

 

______________

1 Erika Chenais, Klaus Depner, Vittorio Guberti, Klaas Dietze, Arvo Viltrop and Karl Ståhl (2019). Epidemiological considerations on African swine fever in Europe 2014–2018. Porcine Health Management, 5:6.

 

 

2 Dicker R, Coronado F, Koo D, Parrish RG. Principles of epidemiology in public health practice. Atlanta: US Department of Health and Human Services; 2006.

3 No Brasil, vige a Instrução Normativa nº 11, de 10 de maio de 2016, do Ministério da Agricultura — ato que foi contestado pela Afisa-PR —, que autoriza "o ingresso no território nacional, dos produtos de origem animal destinados ao uso e ao consumo humano ou animal, classificados como não presumíveis veiculadores de doenças contagiosas". Ora, classificados como "não presumíveis"?

Modificado em 16-2-2019 em 15:11

 

Matérias vinculadas:

16-2-2019 – Pig Progress & Russia blocks pork imports from Mongolia due to ASF [The emergence of African Swine Fever (ASF) in Mongolia has alerted Russia’s veterinary authority Rosselkhoznadzor – leading to an import stop for pigs and pork. There is fear that the outbreaks may pose a threat to Russian regions that still enjoy an ASF-free status]

15-2-2019 - Pig World & Arrests made in connection with Belgian ASF outbreak [Prosecutors investigating the cause of Belgium’s African swine fever (ASF) outbreak have made two arrests, which appear to be linked to wild boar being imported from Eastern Europe, according to reports. The Belgian news media is reporting that searches took place and four people were interviewed last Wednesday as part of the ongoing judicial investigation into the outbreak in the country’s Luxembourg region, which was discovered when two wild boar tested positive in September. Subsequently two arrests have been made, with the detention of one of the suspects extended by a month, according to the Landbouwleven website]

9-2-2019 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Japão: a alarmante escalada da PSC ["Estamos diante de uma situação extremamente séria", disse em Tóquio o ministro da Agricultura do Japão, Takamori Yoshikawa, diante da alarmante escalada da peste suína clássica (PSC) & Japan: The alarming escalation of the CSF & "We are facing an extremely serious situation," Japan Minister of Agriculture Takamori Yoshikawa said in Tokyo in the face of the alarming escalation of classical swine fever (CSF)]

 

 

8-2-2018 - Pig World & ASF threat – what more can be done? [The global picture: Belgium/France; Eastern Europe; Denmark; China e Australia]

29-1-2019 - Global Meat News & Denmark set to build wild boar fence on German border [Denmark’s Ministry of Environment and Food has begun constructing a 70-kilometre wild boar fence in Padborg to combat the threat of African swine fever (ASF) from Germany]

28-1-2019 - The Guardian & Build a wall, wild boar will fall: Denmark erects barrier to keep out German pigs [42-mile fence on border with Germany aims to protect pig farms from African swine fever]

 

 

28-1-2019 - Global Meat News & ASF set to break through borders [In 2019, African swine fever (ASF) is likely to appear in France and Germany, and further spread of the disease in anticipated in south-east Asia, according to Sergey Dankvert, director of the Russian veterinary body Rosselkhoznadzor, speaking during an industry conference in Moscow on 19 January]

18-1-2019 - Reuters & REFILE-China says looking to develop vaccine for African swine fever

18-1-2019 - The Pig Site & What makes ASF so difficult to eradicate? [Based on experiences, knowledge and data gained from the current epidemic this review highlights some recent developments in the epidemiological understanding of ASF]

 

 

17-1-2019 - Daily Mail & African swine fever virus is discovered in pork products in Australia prompting an urgent warning [Australian border security intercepted 152 illegally imported pork products; Six were found to be contaminated with contagious African swine fever virus e The deadly disease affects pigs, with 360,000 global cases reported last year]

 

 

17-1-2019 - The Weekly Times & African Swine Fever found in pork products at Australian airports and in mail [AAuthorities have identified the contagious African Swine Fever in samples of six pork products seized at Australian airports and mail processing centres. The testing was conducted over a two-week period at the Australian Animal Health Laboratory in Geelong as part of the Department of Agriculture and Water Resources’ border activities. The department’s head of biosecurity, Lyn O’Connell said six pork products from the 152 tested were contaminated with the virus]

15-1-2019 - Reuters & China has culled 916,000 pigs as of Jan 14 due to African swine fever outbreaks - ag ministry [China has culled 916,000 pigs as of Jan. 14 due to outbreaks of African swine fever since the first case was reported in early August last year, the country’s agriculture ministry said on Tuesday]

 

 

17-11-2018 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & China: receia-se que o surto de PSA se transforme em epidemia [Carece de investimento o controle da epizoótica peste suína africana (PSA): "A trágica ironia da alocação de investimento para o controle de doenças zoonóticas é que a PSA, eventualmente, poderá causar tanto impacto sobre uma fonte de proteína vital na cadeia alimentar para bilhões de pessoas quanto poderia causar uma epidemia humana" & China: The PSA outbreak is feared to become an epidemic & It lacks of investment in the control of epizootic African swine Fever (ASF): "The tragic irony of investment allocation for the control of zoonotic diseases is that ASF can eventually cause as much impact on a vital protein source in the chain Food for billions of people as could cause a human epidemic"]

7-9-2018 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Opinião da Direx: peste suína africana (PSA) fora de controle? [Com o aumento da velocidade da batalha global contra a PSA, setores da iniciativa privada vinculados aos negócios da agropecuária e os governos de passagem pelo poder não deveriam contar apenas com a sorte... & Opinion of Direx: African swine fever (PSA) out of control? & With the speeding up of the global battle against ASF, sectors of the private initiative linked to the agribusiness business and the governments of passage by the power shouldn't rely on luck...]

3-9-2018 - The Guardian & 'It's not if, it's when': he deadly pig disease spreading around the world [Swine fever has made its way into China, home to half the world’s pigs. Farmers in Estonia are already counting the cost]