Afisa-PR

Opinião da DIREX: A fiscalização agropecuária estatal está sob ataque

corrupção de alguns "fiscais agropecuários" auxilia a "lógica" irracional do mercado que intenciona privatizar a fiscalização agropecuária estatal

 

 

A corrupção de alguns "fiscais agropecuários" auxilia a "lógica" irracional do mercado que intenciona privatizar a fiscalização agropecuária promovida pelo setor público. 

A "lógica" do mercado - o soberano absolutista que manda e desmanda -, falaciosamente tido como "virtuoso" e "incorruptível", é demonizar o Estado (como se a corrupção fosse exclusividade deste) com o objetivo de viabilizar à irracionalidade da terceirização & privatização da fiscalização agropecuária estatal.

Não é sem motivo que tramitam no Senado o PLS 326 de 2016 e na Câmara o PL 334 de 2015, ambos com diversos dispositivos flagrantemente inconstitucionais e ilegais. Aliás, a terceirização & privatização dos SIEs já é uma tenebrosa realidade em alguns estados como o Paraná (Portaria 158 de 2014), Santa Catarina e Espírito Santo (Lei 10.541 de 2016).

No Rio Grande do Sul a Associação dos Fiscais Agropecuários do Rio Grande do Sul (Afagro-PR), em união com o Senge/RS, Sintergs, Simvet/RS entre outras entidades, atua para impedir a privatização & terceirização do SIE do Rio Grande do Sul via o projeto de lei 125 de 2017 (que derivou na Lei 15027 de 2017), ou seja, luta para preservar o interesse público em fiscalização agropecuária estatal e a segurança alimentar da população.

É legitimo apontar que a irracional, inconstitucional e ilegal terceirização & privatização da fiscalização agropecuária estatal, além de inviabilizar a exportação de produtos derivados da carne, tornará ENDÊMICA a corrupção de mão privada e, sobretudo, disseminará gravíssima insegurança alimentar contra os justos e legítimos interesses da população brasileira.

Alterado em 23-2-2018 às 10:50

 

Assista ao VÍDEO alerta produzido pelo Sindicato dos Técnicos-científicos do Rio Grande do Sul (Sintergs) e Afagro-RS