Dá para confiar?

 

5 de julho de 2017, segundo a reportagem intitulada 'Governo garante: frango brasileiro não tem salmonela' & "Em relatório enviado à União Europeia, governo afirma que a carne de frango nacional é segura; ministério também se comprometeu a aumentar número de fiscais."

 

Crédito: Lineu Filho & 'Gazeta do Povo'

 

25 de julho de 2017, segundo a Comissão Europeia & RASFF - Food and Feed Safety Alerts (border rejection & risk decision: serious):

 

Fonte: https://webgate.ec.europa.eu/rasff-window/portal/?event=notificationsList&StartRow=1

 

 Acompanhe também o   Facebook da Afisa-PR

Editorial da DIREX: A "promessa" de fiscalização agropecuária "de Primeiro Mundo"...

 

 

Diante do iminente (não é questão de se, mas de quando) shutdown produzido pelo “dream team econômico” do Senhor Temer, como as autoridades do setor podem “prometer” aos importadores dos produtos agropecuários brasileiros uma fiscalização agropecuária estatal de “Primeiro Mundo”?

Para se ter uma ideia da gravidade da situação, o sindicato dos fiscais governamentais do Ministério da Agricultura, reivindica a nomeação, via concurso público, de pelo menos 1.500 auditores fiscais federais agropecuários, notadamente, para suprir adequadamente a inspeção de produtos de origem animal.

Os EUA já acordaram para a difícil realidade deste país (pois podem ser tudo, menos bobos). Falta a União Europeia (UE).

Leia mais:Editorial da DIREX: A "promessa" de fiscalização agropecuária "de Primeiro Mundo"...

O 'prejuízo Brasil' decorrente da inaceitável desconstrução da fiscalização agropecuária estatal

 

Fonte: Notificatinons list da European Commission

 

Enquanto as autoridades brasileira ficam apenas na [de melhorar o sistema estatal de fiscalização] promessa, a União Europeia (UE) vai rejeitando cargas e mais cargas de carne de aves devido à contaminação por Salmonella

Até 14 de julho deste mês, segundo a Lista de Notificações da Comissão Europeia, ocorreram dezoito (18) rejeições de fronteira de carne de aves do Brasil devido à contaminação por Salmonella.

Leia mais:O 'prejuízo Brasil' decorrente da inaceitável desconstrução da fiscalização agropecuária estatal

Agrotóxicos: "Fechando" a ANVISA

 

Crédito: 'Viomundo'

 

Viomundo

Para capturar os votos que podem salvá-lo, Michel Temer está disposto a envenenar ainda mais o Brasil

por Luiz Carlos Azenha

 

Michel Temer precisa dos 211 votos da bancada ruralista para evitar abertura de processo contra ele no Congresso.

Eles se organizam através da Frente Parlamentar da Agropecuária.

Com a debandada parcial do PSDB, Temer conta com o apoio do presidente da FPA, Nilson Leitão, tucano de Mato Grosso.

Por isso, segundo O Globo, prepara um pacote para o setor:

A ofensiva do presidente, que nunca escondeu simpatia pela pauta do agronegócio, já começou.

Nos últimos dez dias, ele enviou projeto ao Congresso para diminuir o tamanho da Reserva do Jamanxim, no Pará, e aprovou parecer determinando que somente terras ocupadas por indígenas até outubro de 1988, data da promulgação da Constituição, podem ser demarcadas.

Leia mais:Agrotóxicos: "Fechando" a ANVISA

Editorial da DIREX: A fiscalização agropecuária estatal está sob ataque

 

 

A corrupção de alguns "fiscais agropecuários" auxilia a lógica do mercado de irracionalmente terceirizar & privatizar a fiscalização agropecuária estatal.

A "lógica" do mercado - o soberano absolutista que manda e desmanda -, falaciosamente tido como "virtuoso" e "incorruptível", é demonizar o Estado (como se a corrupção fosse exclusividade deste) com o objetivo de viabilizar à irracionalidade da terceirização & privatização da fiscalização agropecuária estatal.

Não é sem motivo que tramitam no Senado o PLS 326/2016 e na Câmara o PL 334/2015, ambos com diversos dispositivos flagrantemente inconstitucionais e ilegais. Aliás, a terceirização & privatização dos SIEs já é uma tenebrosa realidade em alguns estados como o Paraná (Portaria 158/2014), Santa Catarina e Espírito Santo (Lei Estadual 10.541/2016)!

Leia mais:Editorial da DIREX: A fiscalização agropecuária estatal está sob ataque