EUA: Doenças transmitidas por alimentos causam a morte de 5.000 americanos por ano

 

Afisa-PR

EUA: Doenças transmitidas por alimentos causam a morte de 5.000 americanos por ano

E no Brasil?

 

Imagem: Bactéria do Clostridium Botulinum

 

Segundo o PCRM - Physicians Committee for Responsible Medicine, as doenças transmitidas por alimentos causam cerca de 76 milhões de casos de intoxicação, 325.000 hospitalizações e 5.000 mortes a cada ano nos EUA, custando ao sistema de saúde americano U$ 6 bilhões em despesas médicas diretas e perda de produtividade. As bactérias são responsáveis por 75 por cento dos surtos, e as do gênero Salmonella são as mais comuns. No entanto, nas últimas duas décadas, uma série de agentes patógenos alimentares surgiram, incluindo: Campylobacter jejuni (carne de aves), Listeria monocytogenes (produtos lácteos), Clostridium botulinum, Shigella, Escherichia coli 0157:H7 (carne moída), Bacillus cereus, Clostridium perfringens (carne) e Staphylococcus aureus (carne de porco).

Leia mais:EUA: Doenças transmitidas por alimentos causam a morte de 5.000 americanos por ano

Data-base: Afisa-PR critica intervenção da FAEP sobre os deputados estaduais

 

Afisa-PR

Data-base: Afisa-PR critica intervenção da FAEP sobre os deputados estaduais

"Governo" caloteiro, nunca mais!

 

 

A Afisa-PR - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná critica o (sic) ofício nº 0554/16-GP (Carta aos Deputados Estaduais), de 6 de julho do corrente ano, da FAEP - Federação da Agricultura do Estado do Paraná aos parlamentares da ALEP – Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, no qual solicita a suspensão da data-base contra os justos e legítimos interesses dos servidores públicos estaduais. A FAEP escreveu aos deputados estaduais: a) "Cremos que chegou a hora de o funcionalismo público - e no nosso caso o estadual - dar a sua contribuição, abrindo mão do reajuste salarial para evitar pressão sobre o orçamento do Estado para que haja recursos para os serviços e obras essenciais"; b) "A proposta do Governo do Estado de suspender a correção salarial do funcionalismo público neste momento é correta e justa. [...]"; c) Por esta razão, pedimos a [deputado estadual] Vossa Excelência que aprove o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias do Governo do Estado na parte referente ao reajuste do funcionalismo".

Leia mais:Data-base: Afisa-PR critica intervenção da FAEP sobre os deputados estaduais

USDA, Confusing Modernization with Privatization?

 

Food Integrity Campaign Blog

Nos EUA, diretora da Food Integrity Campaign crítica a privatização da inspeção de produtos de origem animal

Amanda Hitt* 

 

 

[Tradução livre] Vamos ser apenas claros sobre isso. O novo modelo de inspeção de carne suína não é modernização; trata-se de privatização. Recentemente, o assessor da [Secretaria de Segurança Alimentar] Secretary for Food Safety do [Departamento de Agricultura dos EUA] U. S. Department of Agriculture, Alfred Almanza, parece que tem muito a dizer sobre a modernização do sistema de inspeção preconizado pelo USDA. Pelo que tenho lido, parece que o Sr. Almanza pretende expandir o modelo de inspeção de alta velocidade usado em aves para os suínos. Ele divulga o sistema de inspeção de alta velocidade como “moderno” e que produz uma maior eficiência no local de trabalho, mesmo declarando publicamente (mais de uma vez) que há “melhora nos resultados de saúde pública”. Mas o que ele não diz é que esta eficácia apresenta um preço: um preço pago pelos trabalhadores, animais e meio ambiente. E que há preocupações de saúde pública que não foram abordadas e que são associadas a este novo modelo de inspeção.

Leia mais:USDA, Confusing Modernization with Privatization?

Contra o PL 334/2015, a Afisa-PR encaminha carta ao seu relator, deputado Onyx Lorenzoni

 

Afisa-PR

Contra o PL 334/2015, a Afisa-PR encaminha carta ao seu relator, deputado Onyx Lorenzoni

A Afisa-PR, com essa iniciativa, traz à discussão de gravíssimo tema consistentes e importantes subsídios, dispostos em vários tópicos, apêndices e casos, que depõem contra a privatização da inspeção de produtos de origem animal

 

 

A Afisa-PR – Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná encaminhou a carta 42-Afisa-PR/2016 (Parte 1, Parte 2, Parte 3 e ETC/AR) ao relator do projeto de lei 334/2015 na CCJC – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados, deputado Onyx Lorenzoni (DEM/RS). Preocupada com o futuro da fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado e, principalmente, com a segurança alimentar da população brasileira, a Afisa-PR, com iniciativa, traz à discussão de gravíssimo tema consistentes e importantes subsídios, dispostos em vários tópicos, apêndices e casos, que depõem contra a privatização da inspeção de produtos de origem animal, a saber:

i) Tópico 1 (“As controversas experiências privaticionistas contra a inspeção governamental de produtos de origem animal nos EUA, Austrália e Grã-Bretanha recebem sérias críticas”), Apêndice I (“As controversas experiências privaticionistas contra a inspeção governamental de produtos de origem animal nos EUA, Austrália e Grã-Bretanha”), casos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11 – Tópico 1, Apêndice I, casos 1, 2 e 3; Tópico 1, Apêndice I, casos 4, 5 e 6; Tópico 1, Apêndice I, casos 7, 8 e 9 e Tópico 1, Apêndice I, casos 10 e 11;

Leia mais:Contra o PL 334/2015, a Afisa-PR encaminha carta ao seu relator, deputado Onyx Lorenzoni

Qual é o problema da inspeção da carne?

 

Afisa-PR

Qual é o problema da inspeção da carne?

Segurança alimentar: Com base na reportagem do Food & Water Watch, intitulada "Meat Inspection" de 10 de setembro de 2015

 

 

O tamanho dos frigoríficos e a velocidade de processamento da carne têm aumentado ao longo das últimas décadas, tornando mais difícil garantir que a carne produzida seja segura e saudável para a população.

Nos EUA, conforme o Food & Water Watch, em vez de diminuir o ritmo da produção para garantir o fornecimento de carne segura e saudável, a indústria apela para produtos químicos para tentar desinfetar bactérias como a Salmonella  e esterilizar as fezes que ainda podem estar na carne processada.

O Food & Water Watch luta há anos para manter um forte sistema oficial de inspeção de carne, satisfatoriamente financiado pelo governo americano. O Food & Water Watch também defende que os fiscais do governo não necessários para vigiar a indústria e impedir que potenciais perigos, como a contaminação da carne pelas bactérias Escherichia Coli  e Salmonella, prejudiquem a saúde dos consumidores.

Leia mais:Qual é o problema da inspeção da carne?