Afisa-PR

O que a "mídia" nacional não conta... Ainda querem aprovar o PLS 326 de 2016?

"As autoridades brasileiras não conseguiram garantir que todas as plantas de carne de aves aprovadas para exportações da UE estavam sob a supervisão de veterinários oficiais antes e durante o abate de animais" — Food Safety Directorate - DG (SANTE)

 

 

Conforme a notícia "Major Brussels crack down on Brazilian beef and poultry imports" do FarmIreland de 13 de junho, como resultado das graves deficiências identificadas na auditoria da DG(SANTE) da Comissão Europeia, fontes dizem que seu Comissário em Saúde e Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis, escreveu ao Ministro da Agricultura do Brasil, ao qual aconselha: que todas as exportações de carne e produtos à base de carne do Brasil para a União Europeia (UE) devem ser submetidas a controles microbiológicos pré-exportação, respaldados por um certificado sanitário que indique que a remessa foi amostrada e analisada para várias cepas de salmonelas; que o processo de aprovação das novas exportações de carne será sujeito a auditorias realizadas pelos serviços da Comissão Europeia no local e não pelas autoridades brasileiras e que todos os frigoríficos de carne de cavalo devem ser retirados da lista de frigoríficos elegíveis para exportação à UE.

Segundo a notícia do FarmiIreland, a auditoria DG(SANTE) da Comissão Europeia identificou deficiências nos procedimentos de supervisão e controle nos frigoríficos do Brasil que visitou. Descobriu-se que: as autoridades brasileiras não conseguiram garantir que todos os frigoríficos de carne de frango aprovadas para a exportação à UE estavam sob a supervisão de veterinários publicos antes e durante o abate dos animais; as autoridades locais não conseguiram assegurar que a lista de frigoríficos aprovada para exportação de carne à UE estivesse precisa e atualizada; havia rastreabilidade inadequada e registros de tratamento de drogas para cavalos e os produtos à base de carne deste animais foram certificados para exportação à UE, apesar da falta de procedimentos para assegurar a elegibilidade da UE de insumos, como as rações de animais e a auditoria observou que não havia procedimentos para garantir que os lotes de carne que tivessem parte rejeitadas na fronteira da UE fossem novamente reenviados.

O relatório de auditoria da DG(SANTE) também destacou que a investigação da polícia brasileira em curso se limitava aos locais implicados no escândalo original, mas não havia sido estendido aos negócios associados vinculados aos frigoríficos envolvidos.

Uma questão de "preocupação particular" citada no relatório de auditoria da Comissão Europeia, segundo a notícia do FarmIreland, foi a de que a maioria das deficiências detectadas durante esta auditoria eram reincidentes e que já tinham sido objeto de recomendações anteriores da DG(SANTE).

 

EUA: frigoríficos privatizados revelaram mais falhas na detecção de Salmonella na carne de frango

A notícia "Privatized Inspection Plants Still Turning Out More Contaminated Chicken" de 18 de setembro, os dados recentemente divulgados pelo Food Safety and Inspection Service (FSIS) do USDA, e informações asseguradas pela Lei de Liberdade de Informação (FOIA)1, possibilitou ao grupo de defesa do consumidor Food & Water Watch revelar que os frigoríficos de abate de frango que se converteram em "modelo de inspeção privatizado", chamado nos EUA de  New Poultry Inspection System (NPIS), continuam a mostrar uma maior probabilidade de falhar no padrão de desempenho do governo para Salmonella do que as plantas que ainda usam o modelo público de inspeção agropecuária.

"Na época em que o NPIS foi proposto em 2012, as autoridades do USDA alegaram que o esquema de inspeção privatizado reduziria os níveis de patógenos em aves de criação. Parece que o oposto está acontecendo", disse Wenonah Hauter, diretora executiva da Food & Water Watch. "Alguns dos grandes participantes do processamento de [carne de] aves optaram por seguir a rota de ["inspeção" privada] desregulamentação, e parece que eles não são confiáveis para se [auto]policiarem. É hora de o FSIS parar a conversão [da privatização] de qualquer outro frigorífico, porque os próprios dados deste Serviço mostram que o NPIS não entrega alimentos mais seguros".

"Na época em que o NPIS foi proposto em 2012, as autoridades do USDA alegaram que o esquema de inspeção privatizado reduziria os níveis de patógenos em aves de criação. Parece que o oposto está acontecendo", disse Wenonah Hauter, diretora executiva da Food & Water Watch. "Alguns dos grandes participantes do processamento de [carne de] aves optaram por seguir a rota de ["inspeção" privada] desregulamentação, e parece que eles não são confiáveis para se [auto]policiarem. É hora de o FSIS parar a conversão [da privatização] de qualquer outro frigorífico, porque os próprios dados deste Serviço mostram que o NPIS não entrega alimentos mais seguros".

Os frigoríficos que adotaram o NPIS possuem menos inspetores públicos do FSIS & USDA na linha de abate, e a maioria das tarefas de inspeção é transferida para os funcionários dos próprios frigoríficos. Sob inspeção pública, pode haver até quatro inspetores do governo designados para uma linha de abate com cada um deles responsável por avaliar até 35 carcaças de aves por minuto. Sob o NPIS, há apenas um inspetor do governo designado para a linha de abate e ele é responsável por inspecionar até três aves por segundo.

Em 14 de setembro, o FSIS publicou seus mais recentes dados regulamentares de testes de Salmonella para carcaças de aves por frigorífico.  De um total de 205 plantas de frango listadas, 189 plantas tinham dados suficientes para avaliar se elas atendiam ao padrão de desempenho de Salmonella. De acordo com os dados do USDA:

1 Trinta e quatro frigoríficos falharam no padrão de desempenho de detecção de Salmonella.

1.1 Dezesseis desses frigoríficos já haviam se convertido no sistema privatizado NPIS; mais dois estavam listados para futura conversão.

1.2 Dezoito das frigoríficos que falharam no padrão de desempenho de detecção de Salmonella estavam usando o modelo tradicional de inspeção.

2. Cinquenta e cinco frigoríficos de frango haviam se convertido no sistema privatizado NPIS a partir de maio de 2018.

2.1 Quase um terço das plantas privatizadas sob NPIS (29%) falhou no padrão de desempenho de detecção de Salmonella, em oposição a 13% das 134 plantas sob inspeção pública (sem o NPIS) que falharam neste padrão.

Modificado em 21-9-2018 em 02:48

 

Notícias vinculadas:

18-9-2018 - Food & Water Watch & Privatized Inspection Plants Still Turning Out More Contaminated Chicken ["Some of the big players in poultry processing have chosen to go down the deregulation route, and it appears that they cannot be trusted to police themselves"]

7-8-2018 - Food Water Watch & USDA Inspectors Pressured to Keep Line Speeds Up Under Privatized Inspection System [“Heading Backwards to The Jungle,” Says Union Chair]

13-6-2017 - FarmIreland & Major Brussels crack down on Brazilian beef and poultry imports

12-6-2017 - FarmIreland & EU to audit 100pc of Brazilian meat imports as report fails to give 'reassurances'

25-10-2016 - DE OLHO NOS RURALISTAS" & Descoberta superbactéria na carne de porco britânica

3-10-2016 - The Guardian & Revealed: MRSA variant found in British pork at Asda and Sainsbury's

10-9-2016 - Food Safety News & Change is what’s predictable about the future of food safety

12-8-2016 - Agência FAPESP & Encontrada no Brasil bactéria resistente a um dos mais poderosos antibióticos

7-1-2016 - The Guardian &  Three years on from the horsemeat scandal: 3 lessons we have learned

23-11-2015 - Food & Water Watch & New Documents Reveal Major Flaws in Nation’s Food Safety Inspection System

18-6-2015 - The Guardian & What is the superbug LA-MRSA CC398 and why is it spreading on farms?

4-9-2014 - Independent & Horsemeat scandal report calls for national food crime unit

23-4-2013 - "CleanSafe" & CleanSafe and The Horse Meat Scandal

 

Matérias vinculadas

9-6-2017 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Produtos de origem animal: Relatório do Ministério da Agricultura aponta ilegalidade no SIE do Paraná

28-10-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & "The Guardian": Encontrada superbactéria variante MRSA na carne suína consumida pelos britânicos 

20-9-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Privatização da fiscalização agropecuária? Em um país onde os fiscais do Estado são tratados com pauladas?

14-9-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Privatização da fiscalização agropecuária: A Afisa-PR é contra o PLS 326/2016

6-9-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Inspeção e fiscalização são indissociáveis

7-9-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Afisa-PR contesta a tentativa de precarização da fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado

1-6-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Especialistas alertam sobre as consequências da privatização da inspeção de produtos de origem animal

7-7-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Contra o PL 334/2015, a Afisa-PR encaminha carta ao seu relator, deputado Onyx Lorenzoni 

27-1-2016 - Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) & Segurança alimentar: Para o DIPOA, parte do sistema de inspeção de produtos de origem animal do Paraná é ilegal

 

Veja também o  Facebook da Afisa-PR e   @AFISAPR da Afisa-PR