The Guardian

UN experts denounce 'myth' pesticides are necessary to feed the world

O relatório da ONU alerta sobre as consequências catastróficas e culpa os fabricantes por "negação sistemática de danos" e "táticas de marketing não éticas"

 

Agrotoxicos soja

Imagem: Crédito '+ Soja'

  

The Guardian (por Damian Carrington) — A ideia de que os agrotóxicos são essenciais para alimentar uma população global em rápido crescimento é um mito, de acordo com especialistas da ONU em alimentos e poluição.

Um novo relatório , apresentado ao conselho de direitos humanos da ONU na quarta-feira (1º-mar), é severamente crítico das corporações globais que fabricam agrotóxicos, acusando-as de "negação sistemática de danos", "táticas de marketing agressivas e antiéticas" e lobby pesado de governos que "obstruiu as reformas e paralisou as restrições globais aos agrotóxicos".

O relatório da ONU diz que os agrotóxicos têm "impactos catastróficos no meio ambiente, saúde humana e sociedade como um todo", incluindo cerca de 200 mil mortes por ano de intoxicação aguda. Seus autores disseram: "É hora de criar um processo global de transição para uma produção alimentar e agrícola mais segura e saudável".

 

 

A população mundial deverá crescer de 7 bilhões para hoje para 9 bilhões em 2050. A indústria de agrotóxicos argumenta que seus produtos - um mercado no valor de cerca de US $ 50 bilhões por ano e crescendo - são vitais para proteger as culturas e garantir alimentos suficientes .

"É um mito", disse Hilal Elver, relator especial da ONU sobre o direito à alimentação. "Usar mais pesticidas não tem nada a ver com livrar-se da fome. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), somos capazes de alimentar 9 bilhões de pessoas hoje. A produção está definitivamente aumentando, mas o problema é pobreza, desigualdade e distribuição ".

Elver disse que muitos dos agrotóxicos são usados ​​em culturas de commodities, como o óleo de palma e a soja, e não o alimento necessário para as pessoas com fome do mundo: "As corporações não estão lidando com a fome do mundo, estão lidando com mais atividade agrícola em grandes escalas. "

O novo relatório, que é co-autor de Baskut Tuncak, relator especial da ONU sobre tóxicos, disse: "Embora a pesquisa científica confirme os efeitos adversos dos agrotóxicos, provando um vínculo definitivo entre a exposição e doenças ou condições humanas ou danos ao ecossistema apresenta Um desafio considerável. Este desafio foi exacerbado por uma negação sistemática, alimentada pelo agrotóxico e agroindústria, pela magnitude do dano infligido por esses produtos químicos e táticas de marketing agressivas e antiéticas ".

<<<<<Continue a ler no The Guardian>>>>>

Matéria vinculada:

7-3-2017 - The Guardian & UN experts denounce 'myth' pesticides are necessary to feed the world [Report warns of catastrophic consequences and blames manufacturers for 'systematic denial of harms' and 'unethical marketing tactics'.The idea that pesticides are essential to feed a fast-growing global population is a myth, according to UN food and pollution experts. A new report, being presented to the UN human rights council on Wednesday, is severely critical of the global corporations that manufacture pesticides, accusing them of the “systematic denial of harms”, “aggressive, unethical marketing tactics” and heavy lobbying of governments which has “obstructed reforms and paralysed global pesticide restrictions."]